quinta-feira, 23 de agosto de 2012

PASEC leva o teatro de rua à Região Centro

 

No seguimento do projeto Revolution, apoiado pelo Programa Juventude em Ação da União Europeia, A PASEC e organizações parceiras organizaram o JEDI 2012 (Jornadas da Educação, Democracia e Inclusão 2012), este ano apelidada de Demoact, entre os dias 17 e 23 de Agosto na região centro de Portugal. Com base de operações em Foz de Arouce, concelho da Lousã, o JEDI Demoact 2012 envolveu dezenas de jovens e teve intervenções na Lousã, Miranda do Corvo, Gois e Coimbra. A designação Demoact advém do fato de as Jornadas centrarem a sua ação no Teatro de Rua como forma de expressão de processos de Inclusão e Democracia Participativa.


Esta iniciativa assumiu a forma de semana aberta de educação não formal sobre a Expressão Dramática e o Teatro como forma de Intervenção Social e Política para formar os jovens a quem se destina o projeto Revolution na metodologia base deste projeto que assume a Expressão Dramática como método de formação base, embora não prescinda de todos os outros. Ao mesmo tempo pretendia-se formar líderes juvenis que assumiram os grupos que integram o Revolution.


Toda a metodologia de trabalho assentou no jogo dramático como forma de interação social e em exercícios de simulacro grupais de expressão dramática e corporal. Os temas base dos exercícios foram os conteúdos programáticos do Revolution. Foram seguidas as dinâmicas do método de Revisão de Vida (dividido em três fases - Ver, Julgar e Agir) e convidados alguns formadores.


Os grupos tiveram divididos por Sociedades Secretas cada uma delas com um ideal, regras e símbolos próprios. Aos longo dos dias foram levados a cabo vários confrontos tendo por base as técnicas teatrais e eliminadas várias sociedades até restar só uma. Ao mesmo tempo foram realizadas intervenções concretas nas Piscinas da Vila da Lousã, na praceta Don Diniz em Coimbra à noite e no Parque Biológico de Miranda do Corvo. A estas intervenções juntou-se um conjunto de atividades recreativas com exercícios de orientação e exploração nas Aldeias do Xisto da Serra da Lousã e algumas incursões de Geocashing (procura de tesouros simbólicos por GPS).


Estas semanas abertas de formação em Teatro e Expressão Dramática também tiveram lugar na Polónia, Itália e França, países parceiros do projeto em ações de formação de um e dois dias.

 


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

GeoCamp 2012 discutiu a novas formas de fazer Democracia


A PASEC e organizações parceiras organizou entre 9 e 14 de Agosto, o GeoCamp International 2012, este ano no formato de Campo de Reconstituição Histórica tendo como temas de fundo "O 25 de Abril em 2012" e "Mestre e Aprendiz". Dando seguimento ao trabalho realizado pela PASEC através do Projeto Revolution, apoiado pelo Programa Juventude em Ação da União Europeia, este evento europeu tinha como premissa chave proporcionar oportunidades aos jovens colocados à margem dos processos de participação juvenil por habitarem em regiões ultraperiféricas. Este Campo Internacional visava chegar a um território muitas vezes marginalizado nas dinâmicas juvenis inerentes aos processos de Democracia Participativa e por outra lado visava proporcionar aos outros jovens atores do projeto o conhecimento de uma realidade que lhes passa ao lado.

O encontro contou com o envolvimento de dezenas de jovens e dividiu a sua ação em dois momentos, um primeiro que teve lugar nos Açores, na ilha de São Miguel, nomeadamente na cidade de Lagoa onde através de uma dinâmica de grupos que evolvia num ambiente simbólico "Mestres e Aprendizes" os participantes refletiram os valores que estiveram na base das grandes revoluções, a sua implicação na vida das pessoas, as revoluções pessoais porque todos passamos e a possibilidade de uma revolução na atualidade, nomeadamente uma recriação do processo do 25 e Abril de 1974. Tudo isto pretendia dar forma a uma discussão que levasse cada um dos presentes a assumir as suas próprias responsabilidades nas novas formas de fazer democracia através de um compromisso pessoal, sem esquecer o passado como lição histórica de cidadania. Nestes primeiros dias, para além destas dinâmicas de reflexão, tiveram lugar exercícios de Geocashing (procura de tesouros simbólicos por GPS), exercícios de contemplação e meditação em alguns dos locais emblemáticos de São Miguel como são a Lagoa do Fogo ou as Furnas, visitas temáticas, uma assembleia e conferência internacional e intervenções concretas e abertas à comunidade no Museu Militar de Ponta Delgada. Para além disto foram organizadas caminhadas e exercícios de exploração e orientação em meio natural aproveitando o potencial ambiental dos Açores.

Já de volta a Famalicão, foram organizados dois encontros temáticos de partilha dos resultados e reflexões empreendidas durante o GeoCamp. Como conclusões emergiram o papel dos jovens em cada uma das revoluções históricas do passado, sendo que o grupo defendeu que cada um deve empreender a sua própria revolução pessoal numa perpsetiva de responsabilidade partilhada e articulada. Por outro lado, foi focado que numa fase conturbada da construção europeia é fundamental assumir também como prioridade as novas formas de fazer Democracia, colocando os jovens no centro do processo de formação, concretização e decisão das dinâmicas de Democracia Participativa enquanto enquanto projecto pedagógico emancipador e gerador de novas oportunidades.


domingo, 5 de agosto de 2012

"A verdadeira Democracia Participativa e os Objetivos do Milénio estão ainda muito de longe de serem concretizados"





"A verdadeira Democracia Participativa e os Objetivos do Milénio estão ainda muito de longe de serem concretizados", esta foi uma das principais ideias a reter do Seminário Internacional "N'EU Frontiers/Manuscritos 2015 que juntou entre 31 de Julho e 5 de Agosto, na região do Gerês e na cidade de Famalicão, três dezenas de jovens.

Mantendo uma linha de ação que a PASEC e a TOTEM de Itália têm desenvolvido nos últimos 2 anos, como continuação dos Projectos Nova Fórmula e com a intenção de discutir e dar resposta aos fenómenos de Extrema Exclusão numa perspectiva de diálogo estruturado com os decisores e membros da classe política surgiu este projeto. 

Durante o Seminário foi aprovado um Plano de Ação/Manifesto final com o ponto de vista dos jovens e dos restantes participantes do projeto tendo por base a sua visão sobre o real cumprimento dos ODM numa perspectiva nacional, europeia e mundial, com propostas e ações concretas a empreender, nomeadamente por parte das comunidades juvenis envolvidas. 

Como já foi referido as conclusões tiveram por base a ideia de que falta "fazer praticamente tudo para que os objetivos do milénio possam ver a luz do dia" (palavras do Secretário Geral da PASEC, Abraão Costa). Foi assinalado que apesar de existirem alguns desenvolvimentos assinaláveis ao nível dos países europeus, no resto do mundo a realidade é bem diferente, sobretudo ao que à satisfação das necessidades básicas diz respeito, nomeadamente tendo por base as realidades dos continentes asiático e africano. A participação juvenil e o envolvimento consciente das populações é parte de uma solução por explorar. 

Durante os primeiros dias os trabalhos organizaram-se a partir de Workshops temáticos preparados por cada um dos países parceiros e por Plenários que simularam Parlamentos Mundiais, envolvendo igualmente peritos e decisores políticos de Itália e Polónia. Como forma de exemplificar fases decisivas da construção humana em que foi possível dar significativos passos em frente foram trabalhados e aprofundados os exemplos de grandes líderes políticos mundiais como Nelson Mandela, Gandhi e Martin Luther King. Estes exemplos serviram de base para o trabalho que se seguiu. 

Nos últimos dias foram apresentadas as ideias centrais dos projetos nacionais a desenvolver pós Seminário de forma criativa e após a avaliação foi aprovado e votado o Plano de Acão/Manifesto final preparado pelos participantes.  Sem descurar a intervenção direta no terreno, o foi e está a ser também a “incubadora” que permitiu o nascimento, já durante os 18 meses do projecto, de pelo 7 novos projetos locais de intervenção social em realidades devidamente sinalizadas com as comunidades juvenis de origem diretamente envolvidas que envolveram diretamente mais de 200 jovens de sete nacionalidades diferentes.