domingo, 9 de junho de 2013

PASEC e AFPAD revelam o projeto Special Democracy através dos Jogos da Diferença



A PASEC e a AFPAD organizaram os primeiros Jogos da Diferença no passado dia 9 de Junho, no Lar Residencial “A Minha Casa”, com centenas de crianças, jovens, animadores e cidadãos portadores de deficiência ou incapacidade. Estiveram também em elevado número os encarregados de educação e familiares dos participantes.

O processo teve início nos passados dias 18, 19, 25 e 26 de Maio com a recuperação de parte das instalações do Lar “A Minha Casa” da AFPAD de Vermoim em duas ações de 48 de voluntariado. Esta atividade permitiu dar também início oficial ao projeto “Special Democracy”, apoiado pelo Programa Juventude em Ação da União Europeia, iniciativa única na Europa no que concerne à promoção do protagonismo do cidadão portador de deficiência nos processos de Democracia Participativa.

A iniciativa contou com a participação do Diretor do Instituto Português do Desporto e Juventude do Norte, Dr. Manuel Barros, que realçou o trabalho impar e inovador da PASEC no campo da promoção da inclusão social. Em representação da Câmara Municipal de Famalicão esteve o Vereador da Juventude, Dr. Mário Passos, que manifestou o orgulho de Famalicão em possuir instituições como a PASEC e a AFPAD. Em nome da Agência Nacional para a Gestão do Programa Juventude em Ação esteve o Dr. Joaquim Freitas que salientou a disponibilidade da Agência para apoiar mais projetos como este. O Dr. Mário Martins, Presidente da AFPAD, reforçou que este projeto entre a PASEC e a AFPAD é para manter e ampliar e por fim, a Dra. Elisabete Faria, Presidente da PASEC, salientou todo o trabalho que a organização tem feito nos últimos 6 anos com grupos de risco.

Os Jogos da Diferença começaram com uma encenação sobre os dia a dia dos cidadãos portadores de deficiência que habitam no Lar “A Minha Casa” e seguiu-se então a competição propriamente dita. Os Jogos foram compostos por cinco desafios. Tiveram lugar o “Desafio Desalinhado”, o jogo “Cubómetro”, o desafio “Twister Faces”, o jogo “Sudoku” de formas geométrica e em ponto gigante e por fim o desafio “Jogo das Sombras”. A ideia passou por partilhar com cada criança e jovem participante quais são as reais dificuldades de um cidadão portador de deficiência numa interação direta e constante com estes e as famílias. O projeto Special Democracy foi entretanto avaliado como o melhor projeto “Jovens e Democracia” no Round 1, de Portugal, do Programa Juventude em Ação da União Europeia de Fevereiro de 2013.