domingo, 25 de agosto de 2013

Geocampo 2013 da PASEC termina com apelo à revolução silenciosa


 


A PASEC realizou entre os dias 19 e 24 de Agosto, em Porto de Mós, mais um Geocampo, este na sua versão 2013. Este é o segundo de uma triologia de encontros de trabalho internacionais que pretendem dar corpo ao plano de ação da PASEC com os seus parceiros nacionais, europeias e internacionais para 2013.

Com dezenas de participantes envolvidos o Geocampo da PASEC parte dos princípios da Simbologia Grupal como metodologia de formação. Durante seis dias cada participante reporta a um Mestre que o treina e prepara num caminho de reflexão e ação virado para a descoberta pessoal num envolvimento permanente com o grupo e comunidades por onde passou o Geocampo.

Tendo como tema de partida o tema “A identidade na ação e nas escolhas que fazemos”, o primeiro dia teve lugar em Alvados, concelho de Porto de Mós, com uma sessão de cinema documental sobre o tema a que se seguiu a apresentação dos Mestres e a distribuição dos participantes no papel de aprendizes por cada um dos Mestres através de sorteio. Teve então lugar a primeira reflexão sobre os verdadeiros poderes que temos para operar a mudança no mundo à nossa volta. O segundo dia foi dedicado ao tema “Calcular o Essencial” e a visitas espeleológicas às grutas de Alvados e Santo António. O terceiro dia foi dedicado ao tema “Quem sou eu a partir dos meus sentidos e emoções?” com uma sessão de meditação e artes marciais que puseram à prova os sentidos dos participantes e uma visita com trabalho de reflexão ao Mosteiro da Batalha. O quarto dia foi dedicado ao tema “O meu poder de transformar e revolucionar” com trabalhos de grupo no Castelo de Porto de Mós, uma visita à grutas de Mira D’Aire e sessões de Simbologia Grupal. Os últimos dias foram dedicados à avaliação e algumas visitas temáticas.

Uma das principais conclusões que os participantes retificaram foi a importância de cada um fazer a sua própria revolução silenciosa ao nível dos valores, conduta e intervenção perante os seus e pela sua comunidade. Outras das conclusões partilhadas por todos é o mundo “de portas fechadas que o ser humano impôs a si próprio com regras absurdas, sistemas complicados, a sociedade do consumo e desconfiança permanente”. Foi focado no documento de conclusões final que é este mundo que sem nos apercebemos nos aprisiona e não permite que cada um complete todo o seu potencial. No final, cada participante propôs o seu plano de ação pessoal e as necessidades de formação que sentia que servirão de alicerces para o Geocampo 2014 na Ilha do Pico, Açores. 

Nenhum comentário: