terça-feira, 26 de agosto de 2014

PASEC junta centenas de jovens em Campos Internacionais - Geo e Anima 2014 ajudaram a formar novos agentes educativos





                                                   
Entre 3 e 28 de Agosto a PASEC envolveu mais de uma centena de jovens, de seis nacionalidades, em quatro Campos de Trabalho e Formação Internacionais. Com o objetivo de promover o diálogo intercultural, as dinâmicas de protagonismo juvenil, a democracia participativa e a inclusão através de metodologias de educação não formal, os primeiros Campos de Trabalho Internacionais foram os denominados Geo, na sua edição de 2014.

Os Geo, já na sua quinta edição, são campos aventura de formação que misturam a reflexão através da Simbologia Grupal, a prática do Geocashing e a iniciação no Método de Clãs. Cada jovem envolvido vive aqueles dias em grupo (Clã) sobre a égide de um Mestre que lhe vai traçando os desafios de cada dia. O primeiro teve lugar no Parque Natural da Peneda Gerês entre os dias 3 e 8 de Agosto e o segundo teve lugar na Ilha do Pico, no Arquipélago dos Açores, entre os dias 13 e 19 de Agosto. O tema de fundo foi a Educação para a Diferença, sendo que o Geo da Ilha do Pico esteve incluído no projeto Special Democracy, apoiado pelo Programa Juventude em Ação da União Europeia. Os participantes envolvidos manifestaram que estas foram oportunidades únicas de potenciar as suas capacidades de liderança, a forma como vêm o mundo e percecionarem a real dimensão dos seus limites emocionais, físicos e espirituais.

Por fim teve lugar um Campo de Trabalho em Idanha à Nova e o Anima 2014, Campo de Formação de Animadores e Agentes Educativos em Abrantes entre os dias 19 e 28 de Agosto. O Anima 2014 foi mais uma oportunidade, de em formato de team-building, formar jovens animadores de 5 distritos de Portugal Continental para o trabalho com jovens de grupos de risco, nomeadamente os oriundos de bairros sociais ou zonas periféricas de grandes aglomerados urbanos. O Anima 2014 foi considerado pelos participantes uma experiência de redescoberta e uma forma de “voltar a dar alma ao nosso sentido de missão que recomeça todos os dias”.

Boa parte dos jovens líderes envolvidos são jovens com menos oportunidades que encontraram nestas experiências a forma de potenciarem as suas capacidades e competências de gestão de grupos juvenis em especial risco de exclusão.