domingo, 11 de dezembro de 2016

Companhia de Teatro ADN lança metodologia inovadora de educação


Foi no passado Sábado dia 10 de Dezembro, que a Companhia de Teatro ADN lançou o Projeto “Edutainment”, considerada uma metodologia inovadora de ensino-aprendizagem por fazer uso dos conceitos de entretenimento como metodologia educativo junto de jovens em risco de exclusão.

Durante a apresentação do projeto, Bruna Araújo, uma das responsáveis pelos ADN relembrava que o “insucesso escolar e iliteracia mediática tem sido duas das grandes problemáticas enfrentadas pelos jovens com que trabalhamos, nomeadamente dos jovens com necessidades especiais.”

Foi ainda focado que o abandono escolar, para além da falta de condições financeiras, acontece pela falta de motivação do aluno para com o sistema de ensino. Estão inseridos em turmas enormes, onde não existe espaço para o trabalho de talentos individuais e de carácter não-formal. Na situação específica dos jovens vítimas de exclusão, por terem graves índices de iliteracia e com necessidades especiais, esta realidade assume contornos ainda mais sérios.

O projeto “Edutainment” tem como visão uma nova forma de educar através das tecnologias de entretenimento, usando-as como arma de preparação para o mundo do trabalho, de envolvimento no movimento associativo jovem, do trabalho de equipa, da promoção para a inclusão e processos de democracia participativa nas comunidades locais, mas com impacto global.

Por outro lado pretende promover a inclusão de jovens portadores de deficiência em processos de atividades socialmente úteis que estabeleçam a ponte entre o seu universo pessoal e familiar e o mundo do trabalho.

Por fim o projeto pretende promover a aproximação entre os métodos de educação formal e os métodos preconizados na educação não formal, através de propostas concretas que possam complementar as atuais soluções formativas para jovens em exclusão e com necessidades especiais. Neste momento já estão envolvidos mais de 70 jovens.


PASEC envolve mais de 2000 jovens na Assembleia Internacional Juvenil 2016




A PASEC organiza mais uma vez a Assembleia Internacional Juvenil, edição de 2016, com o tema "NODM 2030 - Os Novos Objetivos do Milénio 2030". O objetivo é refletir os novos objetivos do desenvolvimento sustentável 2030, nomeadamente o papel dos jovens na concretização dos mesmos.

Só o Roteiro "Envolver para decidir...", envolveu mais de 2200 jovens em 9 países durante as últimas três semanas.

Entre Dezembro de 2016 e Janeiro de 2017 são 9 países, 37 eventos e 11 localidades aquelas que darão corpo à AIJ 2016 - NODM 2030. 

As grandes semanas de trabalho terão lugar em Famalicão, Alfeizerão e São Martinho do Porto, nomeadamente de 26 de Dezembro 2016 a 7 de Janeiro 2017. Mas a grande abertura oficial está marcada para o dia 22 Dezembro com o Espetáculo em forma Circuito Cénico e Conferência Internacional "Vozes do Futuro 2030", em Famalicão, pelas 21h, na Escola Secundária Camilo Castelo Branco que envolverá mais de duas centenas de jovens de 4 países.

Esta iniciativa, que está ao abrigo do Programa Erasmus + da União Europeia, nasce da necessidade de envolver os jovens na discussão daqueles que foram os verdadeiros resultados da execução dos objetivos de desenvolvimento do milénio e por outro lado discutir e refletir quais devem ser as prioridades já para 2030 através de propostas concretas, sobretudo tendo por base a realidade dos jovens europeus, nomeadamente os polacos, italianos e portugueses. 

O documento orientador da Assembleia Internacional Juvenil 2016 relembra que quase metade da população portuguesa estava em risco de pobreza em 2001, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, que mostram que, mesmo depois das transferências sociais, quase 1,8 milhões de pessoas continuavam em risco.

O mesmo documento indica que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e as suas Metas são necessárias para guiar a política e ação da comunidade Internacional, mas há áreas de atuação problemáticas e bem reais que escapam. Desta forma a AIJ 2016 leva a discussão 3 pontos fortes, tendo os jovens como atores centrais:
- a introdução de mecanismos de Educação Intergeracional não-formal como forma a promover coesão social necessária no após-crise de 2008 e o fosso gerado entre gerações nas últimas décadas;
- o acesso garantido a soluções de ensino profissional/ vocacional por parte dos jovens com menos oportunidades com base nos princípios da sustentabilidade e necessidades de cada país;
- assumir a Biodiversidade como um principio integrador de todas as políticas económicas, ambientais e estruturais de médio e longo prazo .